Go to ...

Jornal Liberdade

Últimas notícias do Brasil e do mundo

RSS Feed

NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA

janeiro 24, 2020

Freepik

Hambúrguer de carne ou vegetal: qual é mais saudável?


O lançamento recente de alguns tipos de hambúrguer feitos com plantas, mas com sabor praticamente idêntico ao natural, fez surgir a discussão entre nutricionistas sobre o quão saudável (ou não) esses produtos podem ser. 

A nutricionista Gabriela Cilla afirma que os dois tipos de hambúrguer podem ser prejudiciais para a saúde.

“O que vai fazer a grande diferença é se é industrializado ou não. Todo alimento industrializado faz mal. Se for caseiro, os dois serão saudáveis”, afirma.

Segundo ela, comparando os dois tipos industrializados, o de carne acaba sendo menos prejudicial.

“Para você transformar um grão de bico, uma ervilha ou uma soja, em uma coisa que é quase igual carne, que tem sabor de carne, com maciez, cremosidade e que parece até que sangra, precisa de muito mais química”, afirma.

A nutricionista explica que como a carne de origem animal já possui gordura, a gordura adicionada também acaba sendo menor.

“Mas os dois podem ser prejudiciais a longo prazo, principalmente a depender da quantidade consumida.”

O hambúrguer de origem animal costuma uma quantidade alta de gordura e sódio. Os dois componentes aumentam o risco de desenvolver doenças crônicas como hipertensão, alterações de colesterol, diabetes e disfunções na tireoide.

Por outro lado, o hambúrguer vegetal possui uma quantidade muito grande de aromatizantes e conservantes, que podem ser carcinógenos, ou seja, elementos que aumentam o risco de desenvolvimento de tumor.

“Não vai ter o colesterol, mas excesso de gordura vegetal também pode ser prejudicial”, afirma.

“É como se os aromatizantes e conservadores sujassem nosso organismo. Nossas vias metabólicas perdem a eficiência, todos os processos ficam piores. O [hambúrguer] de carne também tem, mas ele é menos modificado do que o vegetal”, ela explica.

Outro ponto a ser levado em consideração na comparação é o fato dos produtos utilizados na formulação do hambúrguer serem transgênicos.

“O produto transgênico perde benefícios, não vai ser tão bom quanto o orgânico e a longo prazo pode fazer um mal enorme”, afirma.

Gabriela indica que para ter uma alimentação saudável o importante é ir para cozinha, comendo carne, ou não.

“Hoje tem muitas hamburguerias que fazem de forma caseira também, mesmo que eles adicionem farinha ou alguma coisa para dar liga, é muito melhor que o fast-food. Tanto o de carne quanto o vegetal.”

Segundo a nutricionista, a dieta à base de plantas e sem proteína de origem animal pode ser muito saudável.

“É importante um acompanhamento. Pode comer de vez em quando [hambúrguer de planta], mas no dia a dia tem que fazer escolhas mais saudáveis”, afirma.

Comparando os dois tipos de hambúrgueres caseiros ela conclui que ambos são saudáveis.

“A carne tem um valor biológico proteico um pouco maior, mas é de mais difícil digestão. Os hambúrgueres caseiros vegetais não dão efeitos colaterais da digestão, como azia e têm mais fibras e gorduras boas.”

Para pessoas com o sistema digestivo menos eficiente, a carne também pode ser cancerígena, uma vez que por demorar muito para ser digerida, acaba apodrecendo dentro do organismo. Porém, pessoas com o processo digestivo normal não correm o risco.

As informações são do R7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais posts de Saúde

E-mail: Joshua Silva,