Go to ...

Jornal Liberdade

Últimas notícias do Brasil e do mundo

RSS Feed

NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA

CÂMBIO: Dólar Comercial R$ 5,64 / Euro R$ 6,62

setembro 30, 2020

© Pedro França/Agência Senado

Sócio de Flávio Bolsonaro obtém liminar para não ser investigado


O desembargador Antônio Amado, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, concedeu na terça-feira (21/01) uma liminar em favor do empresário Alexandre Santini, sócio de Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), para paralisar a análise de provas contra ele na investigação que tem como alvo o senador.

O magistrado impediu que o Ministério Público analise as provas obtidas a partir da decisão do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, que se referem a Santini. Ele foi alvo de busca e apreensão em sua residência, bem como teve os sigilos bancário, fiscal e telefônico quebrados.

A decisão é provisória e pode ser revertida pela 3ª Câmara Criminal.

Santini é sócio do senador em uma franquia da Kopenhagen. A Promotoria suspeita que a empresa foi usada para lavar R$ 1,6 milhão do dinheiro obtido por meio da rachadinha no antigo gabinete do senador na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

A decisão beneficia apenas ao empresário, sem afetar a análise de dados dos demais alvos do procedimento.

Amado determinou a paralisação porque Itabaiana não permitiu o acesso da defesa do empresário à íntegra do processo. O desembargador afirma em sua decisão que as medidas cautelares contra Santini foram legais e justificadas, mas que seus advogados têm direito a acessar todo o conteúdo da investigação.

Santini foi alvo de busca e apreensão em sua residência em dezembro do ano passado assim como outros alvos e teve os sigilos bancário, fiscal e telefônico quebrados. O MP-RJ suspeita que ele seja um “laranja” do senador na sociedade.

Flávio é investigado pelo MP-RJ sob suspeita dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio e organização criminosa. Os promotores investigam se seus antigos assessores eram obrigados a devolver parte de seu salário para o senador.

O filho do presidente Jair Bolsonaro nega as suspeitas e afirma ser perseguido por membros do Ministério Público.

As informações são do Folhapress.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais posts de Política

E-mail: Carlos Lira,