Go to ...

Jornal Liberdade

Últimas notícias do Brasil e do mundo

RSS Feed

setembro 27, 2020

© Reuters

Petróleo fecha em alta com avanço no acordo EUA-China


O petróleo fechou em alta na terça-feira, em meio a declarações que indicam avanço nas conversas entre Estados Unidos e China para a assinatura de um acordo comercial preliminar. Além disso, os investidores estão atentos a possíveis cortes na produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

O petróleo WTI para janeiro fechou em alta de 0,69%, a US$ 58,41 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para fevereiro, que agora é o contrato mais líquido, avançou 0,94%, a US$ 63,21 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

O presidente americano, Donald Trump, afirmou nesta tarde que as negociações com a China “estão indo muito bem”, mas que os EUA acompanham a situação dos protestos em Hong Kong. Segundo a agência de notícias estatal chinesa Xinhua, por sua vez, o vice-premiê da China Liu He conversou por telefone nesta madrugada com o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, e com o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin.

De acordo com o site Político, um alto funcionário da Casa Branca também confirmou que a assinatura do acordo sino-americano está próxima, devido a concessões “significativas” da China sobre propriedade intelectual, um dos principais impasses para o entendimento entre os dois países.

O mercado acompanha também os bastidores dos cortes de produção de petróleo da Opep. Segundo a agência de notícias russa Tass, três fontes com conhecimento do assunto confirmaram que o cartel e seus aliados externos concordaram em estender a atual redução de oferta por três a seis meses após março de 2020, quando o acordo em vigor expira.

“Os preços do petróleo estão em recuperação devido ao aumento das esperanças de uma trégua comercial, bem como à especulação de que a Opep pode tentar projetar não apenas uma extensão do atual corte de produção, mas também algo adicional”, analisa Phil Flynn, do Price Futures Group.

As informações são do Estadão Conteúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais posts de Mundo

E-mail: Joshua Silva,