Go to ...

Jornal Liberdade

Últimas notícias do Brasil e do mundo

RSS Feed

outubro 16, 2021

© Reprodução

Ex-PM de Minas ameaça Alexandre de Moraes: “Terça-feira vamos te matar”


O ex-policial militar Cássio Rodrigues Costa Souza, de Minas Gerais, publicou nas redes sociais uma ameaça ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

“Terça-feira (7 de setembro) vamos te matar e matar toda a sua família, seu vagabundo”, escreveu o ex-militar no Twitter, na última sexta-feira (4/9).

Apesar de ter sido excluída, a publicação circulou pela internet. Após a repercussão, a conta de Cássio foi suspensa do Twitter por “violar as regras” da plataforma.

Além de ameaçar o magistrado de morte, o ex-policial afirmou que a corporação “eliminará” o ministro. “Morra, careca filho da p***. Terça-feira vamos te matar e toda a sua família, seu vagabundo, advogadinho de merda do PCC. Sou policial militar e nós militares te eliminaremos”, escreveu.

“O Estatuto dos Militares do Estado de Minas Gerais (EMEMG) resolve reformar, na Corporação, o Cabo QPPM Cássio Rodrigues Costa Souza […], por ter sido considerado incapaz definitiva e plenamente para todos os serviços de natureza policial militar e atividades inerentes ao cargo ou função, por apresentar moléstia não profissional, não decorrente de acidente de serviço, não alienante e não invalidante no estágio em que se encontra, podendo exercer atividades na vida civil”, consta no documento.

Militares no 7 de Setembro

Às vésperas do 7 de Setembro, governadores pelo Brasil se preparam de diferentes formas para lidar com a possibilidade de policiais militares participarem de manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e contra instituições, como o Supremo Tribunal Federal.

Segundo o jornal O Globo, oito governadores afirmaram que devem punir oficiais e praças que participarem de protestos. Outros 10 não deixam claro como vão agir, dois dizem que os regimentos internos permitem a manifestação de policiais desde que sem farda e sete não se pronunciaram.

A preocupação dos governadores sobre a PM participar dos atos veio a público no fim de agosto, após o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), exonerar um dos comandantes da Polícia Militar, o coronel Aleksander Lacerda. Nas redes sociais, o oficial atacou o STF e convocou policiais para os atos da terça-feira (7/9).

Com informações do Metrópoles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais posts de Justiça

E-mail: Jornal Liberdade,