© Getty Images

Memes de Gusttavo Lima e ‘CPI dos sertanejos’ bombam com suposta farra de cachês


As críticas do cantor Zé Neto a Anitta, sua tatuagem íntima e ao uso da Lei Rouanet acabaram chamando atenção para o uso de verbas públicas em shows de sertanejos, em especial, de Gusttavo Lima, que chegou a ter um evento de R$ 1,2 milhão cancelado em Conceição do Mato Dentro, em Minas Gerais.

Não foi para menos -o dinheiro foi desviado ilegalmente de um fundo para a saúde e a educação. E enquanto o Ministério Público de diversos estados investiga possíveis irregularidades nas contratações com o dinheiro público, as redes sociais também já têm o seu próprio projeto a “CPI dos sertanejos”.

Enquanto a hashtag sobe nas paradas das redes, rendendo memes e charges que comentam com humor o assunto, vale notar que ainda não existe uma Comissão Parlamentar de Inquérito formal, a conhecida investigação conduzida pelo poder Legislativo.

Ainda assim, alguns sertanejos que se identificam com os ataques que o presidente Jair Bolsonaro, do PL, frequentemente faz à Lei de Incentivo à Cultura, mostraram receber, sem licitação, muitas vezes mais em um show do que o limite atual da Rouanet, que define R$ 3.000 para o cachê de artistas.

A polêmica culminou na noite da última segunda-feira em uma live em que Gusttavo Lima chorou e disse estar disposto a “largar a toalha” após ser vítima dessa perseguição. Autor do estopim da polêmica, Zé Neto, da dupla com Cristiano, comentou ao vivo, tentando interromper o colega. “Cara, quem tem que dar satisfação sou eu”, tentou. “Joga pra mim, irmão, não tem nada haver [sic] com você.”

“Cuidado com as palavras”, alertou Zé Neto, por fim.

As brincadeiras se estenderam até a atriz e roteirista Maria Bopp, que publicou um vídeo imitando uma conversa imaginária em que um sertanejo agenda um show pago com verba pública indevida. “Eu queria falar com você sobre o pagamento, porque eu não recebo cachê através da Lei Rouanet. É contra meus princípios, eu sou cidadã de bem”, diz. “Desvio de verba pública? Ah, não! Eu topo! Educação e saúde? Que combo mara!”

Além do vídeo, Bopp postou também uma montagem em que ironiza a posição de Lima em dispensar a Lei Rouanet e, ao mesmo tempo, por trás dessa posição, cobrar muito dinheiro de prefeituras.

Outros preferiram destacar o fato de Anitta ter desencadeado toda essa série de descobertas polêmicas a partir do conflito com Zé Neto sobre a já célebre tatuagem “no tororó”. Um perfil fez uma dublagem a partir da entrevista da cantora no talk show de Jimmy Fallon. O ator pergunta como ela conseguiu desencadear uma “CPI que está fazendo os agroboys chorarem” a partir da tatuagem íntima. “Não precisei mover uma palha.”

A montagem lembra ainda a ocasião em que Zé Neto também chamou atenção nas redes ao aparecer de sunga numa foto que acabou sendo derrubada pela rede por ser considerada conteúdo impróprio.

Outra imagem propõe que a mansão de Gusttavo Lima em Goiânia se transforme no “Centro Cultural Tororó da Anitta” quando a “CPI dos sertanejos” terminar.

Na mistura de referências, outro brincou com o multiverso dos filmes da Marvel para dizer que em apenas em uma das realidades possíveis a tatuagem de Anitta faria Lima chorar e “ser tratado como ladrão”.

Em relação aos casos, Gusttavo Lima nega irregularidades. Por meio de sua assessoria de imprensa, ele afirmou que “não pactua com ilegalidades” e que não é seu papel “fiscalizar as contas públicas”. As prefeituras de Conceição de Mato Dentro, São Luiz e Magé também negaram irregularidades e disseram que estão atendendo aos pedidos do Ministério Público e colaborando com as investigações.

As informações são do Folhapress