Go to ...

Jornal Liberdade

Últimas notícias do Brasil e do mundo

RSS Feed

julho 31, 2021

© Reprodução

Médico é agredido com chutes e socos por defender lockdown em reunião


O infectologista José Eduardo Panini afirmou ter sido agredido por conhecidos após alertar sobre os riscos do estágio crítico da pandemia no Brasil. Em suas redes sociais, o médico relatou que recebeu “chutes e socos” na última sexta -feira (26) pouco depois de uma reunião para determinar o que seria fechado conforme decreto que prevê a suspensão de atividades não essenciais no Paraná. 

Se o seu objetivo para 2021 é gastar menos, o Cartão de Negócios é a escolha certa para você. Peça já o seu!

“Ao alertar os riscos a pessoas conhecidas, a resposta que me foi dada foram chutes e socos, enquanto um me segurava o outro me agredia. Enfim pessoas assim que ajudaram situação chegar onde está!”, publicou Panini em seu Instagram junto a uma foto em que exibe os ferimentos no rosto.

Em seu post, o médico ainda disse que, apesar da agressão, ele não desanima e continua defendendo as medidas de restrição no combate à pandemia. Panini também valorizou as vacinas e mostrou apoio aos profissionais da saúde em meio ao pior momento da crise sanitária no país. 

“O desânimo não vem! E junto com eles temos muita coisa boa, progresso, vacinas e tudo que vai fazer sairmos dessa pandemia! E aos trabalhadores da saúde muita força!”, concluiu o médico.

Panini é formado pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) e infectologista com residência médica no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da USP. Também é especialista em infectologia pela Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e foi professor do curso de medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR) no campus de Toledo.

O Conselho Municipal de Saúde de Toledo condenou, em nota, o ataque ao médico e cobrou que os autores sejam identificados e punidos.

“Salientamos que o Conselho repudia qualquer ato de violência e em se tratando do atual momento da pandemia, a qual (sic) servidores atuam incansavelmente para salvar vidas aqui em Toledo, assim como no mundo todo, atos desse tipo apontam total desrespeito com o próximo e só traz prejuízos a todos os que estão na luta para que isto um dia vire apenas história”, afirmou.

Em nota, o Centro Acadêmico de Medicina de Toledo também repudiou a agressão contra o infectologista e afirmou que a comunidade acadêmica estava indignada com a situação.

“Defendemos que pandemia seja enfrentada com seriedade e com base em dados científicos. Somos contra todo ato de violência, desrespeito, intolerância e negacionismo. Nós, acadêmicos, desejamos força e uma boa recuperação ao Dr. José Eduardo, e que essa atitude criminosa seja devidamente punida. Nossa gratidão pelo profissional exemplo que é para nós alunos”, disse a nota.

Com informações Época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais posts de Esportes

E-mail: Jornal Liberdade,