Go to ...

Jornal Liberdade

Últimas notícias do Brasil e do mundo

RSS Feed

NOTÍCIAS DE ÚLTIMA HORA

CÂMBIO: Dólar Comercial R$ 5,52 / Euro R$ 6,44

setembro 25, 2020

Reprodução/Twitter

Especialista em fracassos na Libertadores, Luxa está de volta!


São Paulo, Brasil

Projeto no Grêmio, eliminado nas oitavas, em 2013.

Projeto no Palmeiras, queda nas quartas, em 2009.

Projeto no Santos, frustração na semifinal de 2007.

Projeto no Santos, eliminação nas quartas, em 2004.

Projeto no Palmeiras, fim, nas quartas, de 1994.

Projeto no Flamengo, só até as quartas, em 1991.

Depois da frustrante tentativa de contratação de Jorge Sampaoli, o Palmeiras fechou, logo na primeira reunião com Mauricio Galiotte, com Vanderlei Luxemburgo.

Fechou contrato por dois anos.

Mesmo sabendo que ele é especialista em fracassos na Libertadores, competição que será prioridade ao Palmeiras, em 2020. 

É o único caminho até o Mundial de Clubes.

Sua especialidade é Brasileiro, venceu cinco. 

Mas o último há 15 anos, com o Santos.

Ele disputava a vaga com o espanhol Miguel Ángel Ramírez, treinador do Independiente Del Valle.

Mas, além do contrato com o time equatoriano terminar apenas em dezembro de 2021, pesou contra ele a pouca experiência.

Ele tem idade para ser filho de Luxemburgo.

Apenas 35 anos, considerado jovem demais para assumir um clube tão pressionado e problemático quanto o Palmeiras.

Vanderlei já esteve quatro outras vezes no Palestra Itália.

Aos 67 anos, ele comandará seu sétimo ‘projeto’ para tentar vencer a primeira Libertadores da América na carreira.

“Um abraço a você, torcedor palmeirense. Esse clube que me deu tantas alegrias. É uma honra, uma satisfação pessoal muito grande poder estar aqui.

“Vamos trabalhar bastante.

“Nada resiste ao trabalho.

“As competições estão aí para nós, o Palmeiras, pela grandeza que tem e vai continuar tendo na elite do futebol sul-americano e mundial, é para brigar por títulos.”

Os seis fracassos nas Libertadores que disputou o ensinaram.

Ele não tem condições de prometer conquistar o torneio.

“Nós vamos brigar por títulos.

“Se vamos ganhar ou não, é questão de momento.

“Mas que vamos brigar, vamos brigar.

Vamos entrar para ganhar.”

Vanderlei foi contratado por pressão de antigos conselheiros. Entre eles, seu amigo pessoal, o presidente do Conselho Deliberativo, Seraphim del Grande.

Seraphim havia previsto que a vida de Mano Menezes no Palmeiras seria um ‘inferno’, por sua ligação com o Corinthians.

Ele defendeu com unhas e dentes a volta do sexagenário treinador. Por ter a lembrança do técnico empenhado e vibrante do início da década de 90, há quase 30 anos.

O Palmeiras com seu milionário elenco caiu no colo de Vanderlei.

Por Seraphim e membros da diretoria convencerem Galiotte que Luxemburgo colocará ‘nos eixos’ o elenco ‘mimado’, ‘acomodado’ e ‘enriquecido’ do Palmeiras.

O técnico largou o Vasco esperando trabalhar no Santos, onde seu nome era muito cotado nos bastidores.

Mas quando houve a possibilidade de voltar ao Palmeiras, não pensou duas vezes.

Nada do elenco limitado oferecido por José Carlos Peres.

Ele não só terá liberdade, mas será cobrado para formar uma equipe aguerrida, competitiva, vibrante. Com todos os jogadores empenhados.

A visão da diretoria é que faltava um técnico enérgico, com coragem de cobrar as estrelas que o dinheiro palmeirense proporciona.

Galiotte não avaliou os seguidos fracassos do técnico na competição mais sonhada pelo clube: a Libertadores.

Ele quis é ter um técnico faltando 16 dias para 2019 acabar.

E formar, com ele, o elenco para 2020, que já se inicia com viagem para os Estados Unidos, para disputar a Florida Cup. Com o time enfrentando o Atletico Nacional, daqui a exatamente um mês, dia 15 de janeiro.

Comparado a Jorge Sampaoli, Luxemburgo foi uma contratação barata, simples.

O argentino pedia R$ 2 milhões.

Luxa receberá pouco mais de um quarto.

Seu salários serão de R$ 600 mil.

O Palmeiras queria pagar R$ 500 mil.

Depois de duas horas de reunião, o técnico conseguiu mais R$ 100 mil.

Desempregado, ele sabia que teria mercado de trabalho, depois de ‘ressuscitar’ no Vasco. Enfrentou um ano e sete meses de desemprego. Foi demitido do Sport em outubro de 2017 e só voltou a comandar um clube em maio de 2019.

Desde 2004 não ganha um torneio significativo, quando conquistou o Brasileiro, com o Santos. Desde então, nenhuma competição nacional ou internacional.

Seu ‘grande mérito’ para o retorno ao Palmeiras foi ter evitado que o Vasco fosse rebaixado para a Segunda Divisão no Brasileiro. E conseguido a classificação para a Copa Sul-Americana.

O Vasco ficou em 12º lugar.

O técnico virou as costas ao clube quando soube que faltava dinheiro para montar uma equipe forte, em 2020.

Não é o caso do Palmeiras.

Além do ótimo elenco, Luxemburgo e Galiotte, que está cada vez mais próximo do futebol, escolherão reforços pontuais.

Luxemburgo treinou o Palmeiras entre 1993 a 1995.

Voltou para novo período, entre 1996 a 1997.

Retorno em 2002, quando encaminhou o primeiro rebaixamento do clube.

E, depois, entre 2008 e 2009.

Expert em marketing, ele tratou de convocar o torcedor para ajudá-lo.

“Conto com você, meu centroavante que sempre me ajudou a colocar a bola para dentro. Vai ser importante formarmos um elo com comissão técnica, torcida, jogadores.

“Juntos somos muito fortes.

“É uma honra estar de volta ao Palmeiras…”

Será seu sétimo projeto.

Sétima tentativa de vencer a Libertadores…

As informações são do R7.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais posts de Esportes

E-mail: Joshua Silva,