Go to ...

Jornal Liberdade

Últimas notícias do Brasil e do mundo

RSS Feed

junho 25, 2021

© Reprodução

homem é filmado em Águas Claras-DF agredindo mulheres em piscina


Uma moradora de Águas Claras registrou episódio de violência contra duas mulheres em uma piscina do residencial Atol das Rocas. O agressor, que seria primo de um morador do prédio, dá duas cotoveladas no rosto de uma delas e um soco na outra. O vídeo foi gravado da janela de um apartamento na noite de quinta-feira (7/3), véspera da data em que é comemorado o Dia Mundial da Mulher.

BUSINESS CARD

O seu cartão de negócios

Pelas imagens, é possível ver que as vítimas estão do lado de fora da piscina. Em certo momento, uma delas caminha até um vaso de plantas, enche a mão de terra e volta para jogar no homem.

Após tentativa de contê-la, o agressor acerta uma cotovelada na mulher, que seria a namorada dele. A amiga procura intervir na situação e também recebe um golpe.

A moradora que gravou o vídeo enviado com exclusividade para o portal do Metrópoles contou que, antes de começar a filmar, o trio já vinha se agredindo verbalmente e desrespeitando regras do condomínio.

O prédio proíbe bebida alcoólica na piscina, mas isso não os impediu de levar uma caixa de isopor recheada de latas e garrafas. “Eles estavam claramente alcoolizados, falando muito alto, ouvindo música alta e se xingando. A minha enteada os viu brigando e disse que o homem estava batendo nelas. Foi quando eu comecei a filmar”, disse a pessoa responsável pela filmagem, que pediu para não ter o nome divulgado.

Ela acionou a Polícia Militar, mas, instantes antes de os PMs chegarem, o porteiro pediu para que os envolvidos se retirassem, e os três voltaram para o apartamento do primo do agressor.

Segundo a moradora, após retornar ao telefone 190, foi informada pelos atendentes de que a vítima negou ter sido agredida, ao contrário do que mostra o registro feito por celular. Por essa razão, não foi registrada ocorrência em delegacia.

“Disseram que os policiais viriam e que era para eu passar o vídeo para eles, mas ninguém me procurou. A gente não pode aceitar ver isso como se fosse briga de casal”, desabafou a mulher.

Até a última atualização deste texto, a reportagem não havia conseguido contato com o síndico do condomínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais posts de Brasil

E-mail: Jornal Liberdade,