Go to ...

Jornal Liberdade

Últimas notícias do Brasil e do mundo

RSS Feed

junho 25, 2021

© Divulgação / Agência Senado

Aziz divulga novo calendário da CPI e convoca Queiroga a depor novamente na terça


O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), divulgou nas redes sociais um novo calendário das oitivas do colegiado. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, foi convocado a prestar novo depoimento na próxima terça-feira, dia 8. O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Antonio Élcio Franco, será ouvido no dia seguinte.

Queiroga deu seu primeiro depoimento à CPI da Covid em 6 de maio, quando se esquivou de declarar abertamente sua posição sobre o uso da cloroquina em pacientes com covid-19. A postura do ministro irritou membros da comissão parlamentar de inquérito, que passaram a articular a reconvocação, agora confirmada por Omar Aziz.

O calendário atualizado ainda traz as datas das oitivas de Marcos Eraldo Arnoud Marques, conhecido como Markinhos Show, que foi assessor especial do Ministério da Saúde na gestão de Eduardo Pazuello, marcada para dia 10, e do secretário de Saúde do Amazonas, um dos Estados mais afetados pela pandemia no País, Marcellus Campêlo, em 15 de junho. O ex-governador do Rio de janeiro Wilson Witzel, eleito na esteira do bolsonarismo em 2018 mas hoje um desafeto político do Palácio do Planalto, será ouvido no dia 16.

O empresário Carlos Wizard, suspeito de integrar um “gabinete paralelo” de aconselhamento ao presidente Jair Bolsonaro em assuntos relacionados à covid-19, foi convocado a depor em 17 de junho. O representante da White Martins, empresa que atua no fornecimento de oxigênio a unidades hospitalares, Paulo Baraúna será inquirido no dia seguinte.

Fora da cena política, a CPI receberá três especialistas em covid-19 no dia 11 de junho. São eles: o médico sanitarista Cláudio Maierovitch, ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz); as pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP) Nathália Pasternak e Deisy Ventura; além da diretora-executiva da Anistia Internacional no Brasil, Jurema Werneck.

Informações Estadão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mais posts de Brasil

E-mail: Jornal Liberdade,